E SOBRE A INDENSEJÁVEL CELULITE SERÁ QUE TEM CURA? LEIA UM POUCO - Reeducação Alimentar Para Vida

E SOBRE A INDENSEJÁVEL CELULITE SERÁ QUE TEM CURA? LEIA UM POUCO


Mesmo não sendo uma doença, muita gente se pergunta se celulite tem cura. A busca por um tratamento eficaz é enorme, e isso é algo que realmente incomoda as mulheres. Se você não consegue fazer as pazes com a celulite, saiba que não está sozinha: nada menos que nove em cada dez mulheres apresentam a inconfundível condição que marca a pele e causa um aspecto de casca de laranja.

Mas o fato de ser quase que uma unanimidade no mundo feminino não significa que não há nada que possa ser feito para tratar a celulite. Somente nos últimos anos inúmeros procedimentos foram apresentados ao grande público com a promessa de acabar de vez com as indesejadas irregularidades na pele.
Seriam então estes tratamentos o fim da celulite? Podemos finalmente afirmar que a celulite tem cura?


Celulite estética e infecção da pele

,
Antes de sabermos se é possível eliminar a celulite para todo o sempre, vamos compreender um pouco mais sobre o problema que tanto incomoda as mulheres- e não raro os homens, também.
O termo celulite pode ser utilizado para denominar duas condições distintas:
  • uma infecção de pele causada por bactérias (semelhante à erisipela), ou
  • a hidrolipodistrofia ginóide, um desequilíbrio no metabolismo dos lipídios.
Aqui iremos abordar a segunda alternativa, que é a celulite estética, causada por um crescimento anormal do tecido adiposo.

De maneira resumida, podemos dizer que a celulite é uma alteração causada pelo depósito desordenado de lipídios, água e toxinas no tecido conjuntivo subcutâneo (logo abaixo da pele).
Mais precisamente, a celulite ocorre quando as fibras de tecido conjuntivo perdem sua elasticidade e abrem espaço para o acúmulo de gordura e fluídos no local. Este efeito resulta em uma pele irregular porque as fibras tracionam a pele “para baixo” ou seja, em direção à musculatura, ao passo que a gordura eleva a pele.
O resultado dessas duas forças opostas é uma pele ondulada, com nódulos e muitas vezes enfraquecida.

Tipos de Celulite

De acordo com características como nível de flacidez da pele, aspecto da área afetada e profundidade das depressões, a celulite pode ser classificada em três estágios- ou graus:

  • Celulite grau 1, ou Leve: somente pode ser vista quando a região afetada é “pinçada” ou o músculo contraído.
  • Celulite grau 2, ou Moderada: está evidente mesmo sem contração da pele, e já há um aspecto de “casca de laranja”. A apalpação revela pequenos nódulos e lesões mais aprofundadas.
  • Celulite grau 3 ou Grave: a superfície da pele tem nódulos visíveis e a celulite pode ser notada até mesmo sob as roupas. Há um comprometimento da circulação no local, e a quantidade e profundidade das depressões é bastante elevada.


Causas da Celulite


Cientistas ainda não bateram o martelo quanto às verdadeiras causas da celulite, mas acredita-se que a condição esteja relacionada com:
  • Sexo: a celulite é bem mais comum entre as mulheres
  • Idade: o passar dos anos aumenta a predisposição à celulite, possivelmente pelas alterações hormonais e a perda de colágeno (proteína essencial para a sustentação da pele)
  • Histórico familiar
  • Excesso de peso: embora muitas mulheres magras também apresentem celulite, o aumento na taxa de gordura corporal é fator determinante para desenvolvimento da celulite
  • Tabagismo (algumas toxinas do cigarro afetam a síntese de colágeno)
  • Dieta: uma alimentação rica em gorduras, açúcar e sal favorece o surgimento da celulite
  • Stress
  • Sedentarismo
  • Baixa ingestão de água (o líquido é fundamental para eliminar as toxinas)


Existem muitos cremes e procedimentos que prometem acabar com o problema, mas cientificamente falando, ainda não há uma cura para a celulite de grau mais elevado.
O que existem são tratamentos que estimulam a circulação local e assim melhoram o aspecto da pele que ainda não foi profundamente afetada. Mas não existe ainda nenhum método que seja capaz de reverter por completo as marcas na pele deixadas pela celulite.
Mas não se desespere: a celulite não tem cura, mas tem tratamento. Ou seja, ainda que não seja possível voltar a ter uma pele totalmente “lisinha”, é possível controlar os danos e até mesmo prevenir que a celulite dê as caras em outras partes do corpo.
Veja logo abaixo algumas dicas de tratamento para celulite, e em seguida confira dicas para combater a pele com aspecto de casca de laranja.

Tratamento

Antes de mais nada, é importante lembrar que a celulite não é uma doença, e que, portanto, ela não afeta a saúde. Assim, o tratamento para celulite acaba sendo procurado por quem está incomodado com a aparência da pele- embora aqui caiba a ressalva de que nem todos respondem da mesma maneira aos procedimentos.
Sim, pode parecer bastante óbvio, mas o melhor tratamento para a celulite é aquele que atende às suas necessidades e que traz algum tipo de benefício. E ressaltamos, mais uma vez, apesar de muitas propagandas dizendo que celulite tem cura, que os tratamentos não têm comprovação de eficácia.
Outro fator a ser considerado antes de optar por uns dos tratamentos para celulite listados abaixo é o grau de comprometimento da pele. O tecido levemente afetado tende a responder melhor do que uma área marcada pela celulite grave, por exemplo.
Algumas opções de tratamento para a celulite:

– Drenagem linfática



Um dos tratamentos para celulite mais difundidos e acessíveis, a drenagem linfática consiste em uma massagem que estimula a eliminação de líquido e toxinas retidos nos tecidos.
Através de movimentos suaves com as pontas dos dedos ou as palmas das mãos, os fluidos acumulados sob a pele são levados em direção aos gânglios linfáticos para que sejam permanentemente eliminados do organismo.
Em casos mais amenos de celulite, a técnica também ajuda a quebrar pequenos nódulos de gordura, uma vez que melhora a circulação sanguínea no local. Embora seja indicada para todos os graus de celulite, a massagem não reverte quadros mais severos.

Radiofrequência

De acordo com muitos especialistas da área dermatológica, a radiofrequência é um dos tratamentos mais eficazes contra a celulite, pois consegue atuar diretamente nas traves de tecido conjuntivo e traz resultados mais duradouros.
E o que é a radiofrequência exatamente? Basicamente, é uma técnica criada em meados da última década e que se caracteriza pelo uso de um aparelho que emite ondas de radiofrequência ou luz infravermelha.
Com sessões regulares, seria possível reduzir as inflamações e ondulações da pele apenas com a aplicação de calor no local afetado- tudo isso sem a necessidade de um procedimento invasivo como é, por exemplo, o caso da lipoaspiração.
Aplicadas diretamente sobre a área afetada pela celulite, essas ondas aquecem o tecido e ajudam a desemaranhar as traves fibrosas, ao mesmo tempo em que estimulam a síntese de colágeno. O resultado é uma pele mais firme, com menos depressões e sem tanto inchaço.
A radiofrequência serve também para melhorar a microcirculação, aumentar a hidratação e estimular a eliminação de toxinas. Indicada para todos os tipos de celulite, a técnica não danifica a pele e pode ser aplicada mesmo em consultório.

Outro tratamento para celulite não invasivo, a endermologia- ou endermoterapia, como também é conhecida a técnica- consiste no uso de um aparelho com dois pequenos rolos que faz um tipo de massagem por sucção (ou uma drenagem linfática mais potente).
O tratamento com o sistema de sucção promove o relaxamento muscular, eleva a circulação local, aumenta a oferta de oxigênio para a região com celulite e acaba por melhorar o aspecto da pele.
Para melhores resultados, as sessões de endermologia devem ser repetidas regularmente.